• Polícia 10/07/17 | 06:31:03
  • Jovem é condenado a 16 anos de prisão por morte de ex-mulher
  • Esta foi à segunda condenação por feminicídio da Comarca de Catanduvas
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Simone Lima Reato/Catanduvas Online/Adalmir Kaiser
  • Foto: Catanduvas Online/Divulgação

O Tribunal do Júri da Comarca de Catanduvas condenou, em sessão de julgamento realizada nesta sexta-feira (7), Marcos Adriano Rodrigues Batista, 21 anos, à pena de 16 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato da ex-mulher Kelly Bandeira do Amaral, 25 anos. A vítima foi morta a facadas em setembro de 2015 no Loteamento Cardoso em Catanduvas.

O juiz José Adilson Bittencourt Junior proferiu a sentença por volta das 18h com Tribunal do Júri lotado por familiares e amigos da vítima. O réu foi condenado pelo crime de homicídio qualificado pela utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e por feminicídio, em virtude da condição do sexo feminino da vítima envolvendo violência doméstica.

O feminicídio, como circunstância qualificadora do crime de homicídio, foi inserido no Código Penal Brasileiro pela Lei n. 13.104, de 9 de março de 2015, publicada a partir de uma recomendação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito sobre Violência contra a Mulher. Esta foi à segunda condenação por feminicídio da Comarca de Catanduvas somente neste ano.

O Promotor de Justiça, Flávio Fonseca Hoff, atuou na acusação pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), acompanhado da assistente de acusação Maria Helena Cerino. Conforme o promotor, o autor contou com duas atenuantes: o caso de ser réu confesso e ser menor de 21 anos, quando cometeu o crime. Ainda cabe recurso por parte do Ministério Público.

A família da vítima acompanhou de perto todo julgamento. "Nenhuma sentença será suficiente para que ele pague pelo crime que cometeu. Espero e creio na justiça divina, porque minha filha não volta mais", desabafou a mãe.

Um aparato policial foi montado desde o inicio da manhã. Cerca de 20 policiais do PPT, DEAP E PM estiveram no local para garantir o bom andamento dos trabalhos, inibindo possíveis tumultos ou protestos no tribunal.

O crime

O crime aconteceu por volta das 7 horas da manhã do dia 24 de setembro de 2015, quando os irmãos da vítima teriam saído para trabalhar. Na sequência, Marcos Adriano desferindo 21 facadas pelas costas da mulher que estava no banheiro da casa, conforme apontou laudo pericial.

Vítima e autor eram funcionários de uma madeireira. O autor alegou que ciúmes teria sido a motivação do crime.

comentários